Blog

Conheça o perfil dos tomadores de decisão de sucesso

Líder: uma palavra de muito peso dentro de uma organização. Afinal, são eles os responsáveis por motivar e engajar outros colaboradores em prol do sucesso de uma empresa. Criativos, curiosos, comunicativos, corajosos e convictos — os atributos deles são inúmeros. No entanto, existem diferença notórios no perfil dos tomadores de decisão de sucesso.

É justamente sobre esses perfis que falaremos no artigo de hoje. A seguir, você conhecerá as características que os diferenciam, além das vantagens e desvantagens de cada linha de atuação.

Continue a leitura e descubra qual a influência desses líderes no sucesso das empresas em que atuam!

Perfil calculista

A pessoa calculista geralmente é vista como alguém fria, egoísta e arrogante. No entanto, se formos pensar sob o ponto de vista de um líder que influencia diretamente a tomada de decisão, o calculista pode se reverter em um perfil positivo, apesar das ressalvas.

O líder calculista costuma ser estrategista e pensar de maneira mais racional. Ou seja, ele analisa a situação, vê o que pode dar errado e o que pode dar certo e, a partir disso, dá o seu aval. Ele não costuma perder tempo com coisas vazias e desnecessárias ou opiniões que não acrescentam nada à gestão.

No entanto, essa característica tem o seu lado negativo também. O líder calculista não tem medo do que as outras pessoas pensam, por isso, não costuma ser muito empático com os seus pares. Além disso, ele não permite uma aproximação maior dos subordinados — exceto daqueles em quem confia plenamente. Se pensarmos no momento decisivo, isso pode trazer prejuízos, já que ele não é dono da verdade e os outros devem ser escutados.

Perfil criativo

A criatividade é uma característica muito valorizada nas organizações. Afinal, a pessoa que a possui é capaz de inventar e inovar. Isso é bastante positivo se pensarmos no competitivo mercado atual, que exige destaques e diferenciais para conquistar os consumidores ávidos por novidades, além de produtos e serviços cada vez mais especializados.

Isso faz com que o líder criativo seja capaz de criar uma cultura que conecte os colaboradores por meio de ideais, paixões e sentidos. Ele também tem alta capacidade de improviso, ou seja, o desafio não é um problema em sua gestão.

Além disso, líderes criativos são apaixonados pelo que fazem, têm visão de futuro e compartilham essa habilidade com os outros. Consequentemente, na hora de tomar uma decisão, costumam apresentar soluções inovadoras.

No entanto, assim como todos os perfis, o criativo tem os seus pontos fracos. Entre eles está a incapacidade de, em alguns momentos, pensar de maneira racional, sempre querendo inovar demais, sendo que a situação pode exigir soluções mais simples. Geralmente, ele tem dificuldade em dar um feedback negativo para a equipe — o que, em um momento decisivo, pode ser ruim.

Perfil inspirador

A motivação no ambiente de trabalho traz uma série de benefícios, tanto para os colaboradores quanto para a empresa. Alguns dos pontos vantajosos da motivação são:

  • maior produtividade.
  • bem-estar;
  • harmonia no grupo;
  • engajamento para dar ideias;
  • alta capacidade criativa;
  • desenvolvimento.

Mas isso só é possível quando se tem líderes inspiradores.

O líder inspirador é um exemplo para os seus colaboradores. Além disso, como tem uma comunicação impecável, raramente precisa dar ordens aos seus subordinados, pois eles já têm clareza do que precisam fazer.

Sob o ponto de vista da tomada de decisão, isso é muito positivo, visto que otimiza o processo e ainda produz resultados compatíveis com os pretendidos.

No entanto, a inspiração também tem o seu lado negativo. Como o líder inspirador é muito positivo, às vezes, podem existir dificuldades para enxergar os pontos negativos de uma decisão. Isso gera frustração, caso os resultados não saiam como o esperado. Esse problema é visível principalmente em momentos de crise, em que as ações precisam ser mais racionais para não haver prejuízos no desenvolvimento da empresa.

Perfil democrático

A democracia está embasa em princípios que buscam:

  • igualdade;
  • liberdade de expressão;
  • antiautoritarismo.

O líder democrático é essencial para alavancar os resultados de uma organização, visto que busca um consenso para a execução das tarefas entre os colaboradores.

Os pontos positivos desse estilo de liderança estão na capacidade do líder de:

  • compartilhar ideias;
  • ouvir sugestões;
  • criar comprometimento.

Além disso, no processo decisório, é levado em consideração o que a maioria acredita ser a melhor solução, gerando maior rendimento e um desenvolvimento maior por parte dos funcionários — algo que se reflete no futuro de sucesso.

No entanto, ao mesmo tempo, o líder democrático tem que estar bastante atento. Entre os pontos negativos desse estilo podemos destacar uma liberdade muito grande do grupo, que pode tornar o líder refém da equipe.

Outro ponto é que as equipes inexperientes não se adaptam muito bem a esse estilo, já que o conflito de egos pode ser um problema, na hora de tomar uma decisão. Logo, é preciso que o líder democrático trabalhe como mediador e balanceie a abertura de espaço aos colaboradores, para que eles não percam o foco nos resultados.

Perfil autoritário

O simples fato de falar que alguém é autoritário já faz muitas pessoas o verem com maus olhos. No entanto, é preciso ir além e entender que a autoridade nem sempre é algo negativo. O foco nas ações é bem grande, por ser mais centralizador que seja, ele simplifica processos, consequentemente, tornando-os mais produtivos.

Esse estilo de liderança se destaca principalmente em momentos de crise, onde decisões firmes e rápidas precisam ser tomadas. Ele consegue levar seus colaboradores a ações específicas com mais facilidade, já que não gostam de ser contrariados.

No entanto, apesar desse ponto positivo, os aspectos negativos também se destacam. O líder autoritário não costuma aceitar a opinião dos outros, preferindo decidir baseando-se apenas no que ele acha correto. Além disso, ele gera desmotivação nos funcionários, já que não lhes dá voz. Consequentemente, os resultados são mais lentos, devido à insensibilidade e o estilo dominador.

Perfil auditor

A auditoria tem por principal característica averiguar se as decisões tomadas foram implementadas de maneira eficaz e estão adequadas às regras estabelecidas da organização. O profissional com essa habilidade é bastante analítico e apoia as suas condutas baseado em dados.

O líder auditor é aquele que resolve os problemas de maneira tática e evita os riscos desnecessários dentro da organização. Isso quer dizer que ele tem facilidade em lidar com decisões pragmáticas — aquelas consideradas objetivas e realistas, úteis para garantir conquista do seu objetivo, mesmo que seja pequeno.

Porém, eles não são tão habilidosos em lidar com as situações de longo prazo, que exigem por sua vez inovação e criatividade. Além disso, por terem a segurança ao seu lado, evitam até mesmo as decisões arriscadas, mesmo aquelas que oferecem boas recompensas no futuro.

Perfil ponderado

Ser ousado demais e aventureiro nem sempre é positivo para uma organização. Mesmo que seja importante inovar e tomar algumas decisões arriscadas para se destacar no mercado, é preciso saber a hora certa de ser ponderado.

O líder que possui esse estilo de atuação gosta de analisar dados, assim como o analítico. Mas, ao mesmo tempo, ele cogita outros caminhos possíveis, ou seja, só avança depois de ter levado em consideração as vantagens e desvantagens de cada decisão, bem como as consequências futuras. Por isso, esse perfil costuma se destacar em decisões mais complexas, devido a essa ponderação.

Assim como nos outros perfis listados, esse perfil dos tomadores de decisão também possui alguns pontos contra. Um deles é tentar prever todos os detalhes de todas decisões, o que pode levar a um atraso no estabelecimento da ação. É impossível que tudo seja analisado, até porque o mercado pode ter comportamentos não lineares. Logo, é fundamental trabalhar a flexibilidade.

Perfil intuitivo

O filósofo Kant disse que “todo o conhecimento humano começou com intuições, passou daí aos conceitos e terminou com ideias“. O fato é que a intuição, na maioria das vezes, está presente nas grandes decisões e não pode ser negligenciada. Ela, inclusive, ajuda a evitar o sentenciamento arriscado.

No processo de tomada de decisão, esse perfil leva em consideração mais a emoção do que a razão, já que para ele é importante sentir que o que foi decidido é o certo a fazer. A intuição costuma acelerar a escolha, assim como incentiva a criatividade e a inovação — e vale mais uma vez reforçar que esses são diferenciais competitivos fortes.

Algumas desvantagens também são encontradas no perfil intuitivo. Contar somente com as emoções pode ser prejudicial, já equilibrá-las à razão é a equação de sucesso para uma empresa. Essa impulsividade em tomar decisões baseadas no que se sente também pode causar arrependimentos posteriores.

Mais do que entender qual o seu perfil dos tomadores de decisão de sucesso, é preciso lembrar de ter senso crítico, trabalhar inteligência emocional e administrar bem as escolhas, lidando com as consequências de tudo isso. Quanto melhores as decisões, mais sucesso terá o negócio do qual você faz parte.

Agora que já conhece o perfil dos tomadores de decisão de sucesso, você sabia que existem softwares que podem ajudá-lo nesse processo? Fizemos um artigo com 6 ferramentas de BI essenciais, confira!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer Saber tudo Sobre o Mundo do BI? Cadastre-se abaixo e receba os melhores conteúdos sobre Business Intelligence.